Notícia

Mulher e Direitos Humanos

Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos do Estado de Alagoas
Sexta, 17 Maio 2019 17:00
DIREITOS

Semudh participa de audiência sobre o enfrentamento à homofobia

Pauta tratou sobre a luta e a necessidade de implantação de políticas públicas para a comunidade LGBT

Secretarias de Estado, entidades e deputados participaram do debate sobre a homofobia em Alagoas Secretarias de Estado, entidades e deputados participaram do debate sobre a homofobia em Alagoas Tanino Silva

Texto de Bruno Levy

No Dia Internacional de Luta Contra a Homofobia, o superintendente de Políticas para os Direitos Humanos e a Igualdade Racial da Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh), Mirabel Alves, participou de audiência pública sobre o assunto nesta sexta-feira (17), na Assembleia Legislativa do Estado, em Maceió.

Com o tema “Combate a Homofobia em Alagoas”, deputados, representantes de secretarias de Estado, instituições ligadas à comunidade de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travesti e Trasngênero (LGBT) e o público em geral debateram sobre a luta da classe no enfrentamento ao preconceito, aos crimes de ódio praticados por parte da sociedade e os possíveis meios de solução para a diminuição do número de casos.

Durante a sessão, o palestrante e fundador do Movimento LGBT em Alagoas, Marcelo Nascimento, falou sobre o histórico da luta da comunidade no mundo com a “Rebelião de Stonewall”, uma série de manifestações violentas e espontâneas de membros da comunidade LGBT contra uma invasão da polícia de Nova York que aconteceu nas primeiras horas da manhã de 28 de junho de 1969, no bar Stonewall Inn, localizado no bairro de Greenwich Village, em Manhattan, em Nova York, nos Estados Unidos.

“Somente bem depois é que o Brasil deu sinais de que os preconceitos, as agressões sofridas e todo o resto era inaceitável. O país precisou seguir o exemplo do mundo onde a intolerância é tratada de forma rígida, apesar de que ainda temos muito a caminhar”, disse Marcelo.

WhatsApp Image 2019 05 17 at 15.41.27 3

O Superintendente Mirabel Alves deixou claro que a Semudh trabalha diretamente com as entidades em compromisso e respeito às pessoas LGBT em Alagoas. “Reitero o compromisso da secretária Maria Silva no combate à homofobia e a toda forma de discriminação no Estado. Esta audiência é muito importante para que a sociedade alagoana saiba da luta destas pessoas que sentem na pele diariamente o ódio e a ignorância”, explicou.

Violência

O presidente do Grupo Gay de Maceió, Messias Mendonça, destacou os altos índices de violência contra LGBT e pediu soluções imediatas à casa no enfrentamento a homofobia.

“Diariamente vemos irmãos de bem morrendo simplesmente por ódio, raiva. Isso é inaceitável. Precisamos de algo mais concreto para salvar a vida dessas pessoas. Estamos sem apoio, estamos sendo cortados na carne. Não é fácil ser o que somos neste país, mas temos esperança e forças para resistir e reverter tudo isso”, relatou Messias.